Dúvidas Frequentes

A doença celíaca é caracterizada por um processo inflamatório na mucosa do intestino, causado pela intolerância permanente ao glúten que leva à má absorção de nutrientes. Quando o glúten chega ao intestino de portadores da doença celíaca, ele não é digerido e se adere à mucosa intestinal, mais precisamente, nas vilosidades da parede do intestino, que funcionam como facilitadores da absorção de diversos nutrientes. Assim, o glúten torna-se um corpo estranho para o sistema imunológico, o qual é ativado, liberando anticorpos contra esta proteína. Em consequência a esse processo de combate ao glúten, as vilosidades intestinais são atrofiadas, então, comprometendo a adequada absorção de nutrientes, assim, resultando em sérias deficiências nutricionais.

Quais são os sintomas da doença celíaca?

A doença celíaca é confundida frequentemente com diversos outros distúrbios em razão da variedade de sintomas que apresenta. Os sintomas mais comuns são: diarreia, constipação e vômitos crônicos, inchaço e dores abdominais, perda de apetite, irritabilidade, flatulência e manchas nos dentes. Dependendo do nível de comprometimento do intestino delgado, o celíaco pode apresentar uma deficiência grave de ferro sem resposta à suplementação desse mineral e também uma osteomalácia (desmineralização do osso) devido a deficiência de vitamina D.

A importância do intestino para a saúde humana:

O intestino é um órgão fundamental para uma boa saúde em geral, sendo responsável pelos processos de digestão de alimentos, absorção de nutrientes, por barrar substâncias maléficas e controlar a entrada e saída de água do nosso organismo.

No intestino, encontram-se tanto bactérias boas quanto ruins e é o equilíbrio entre elas que mantém uma microbiota intestinal adequada e saudável.

As bactérias benéficas são responsáveis por funções essenciais a nossa saúde como:

  1. Proteção da microbiota intestinal, impedindo a colonização e multiplicação de bactérias patogênicas.
  2. Comunicação de bactérias intestinais com o sistema imunológico, ativando-o de forma rápida e eficaz contra substâncias maléficas.
  3. Produção de vitaminas do complexo B e K, síntese de lactase (enzima que digere a lactose) e ação sob as fibras, fermentando-as e formando outras substâncias benéficas como os ácidos graxos de cadeia curta para manter o intestino saudável.

Por isso é de extrema importância o equilíbrio entre bactérias boas e ruins para o ser humano, pois o seu desequilíbrio gera um quadro de disbiose intestinal que acarreta em diarreia, constipação, flatulência, processo inflamatório e enfraquecimento do sistema imunológico.

E a incidência de doença celíaca?

Atualmente, estima-se que a prevalência para a doença celíaca seja de aproximadamente 1% da população mundial. Infelizmente, no Brasil, faltam levantamentos de dados sobre esta incidência, mas alguns estudos realizados no estado de São Paulo, em 2007, demonstram que um, a cada 214 brasileiros, possui a doença celíaca.

É importante salientar que para a manifestação da doença celíaca é preciso que os indivíduos apresentem predisposição genética, além da presença de fatores ambientais como o tempo de amamentação, a introdução alimentar precoce, a frequência do consumo de glúten e infecções intestinas.

Como é feito o tratamento para a doença celíaca?

O único tratamento para esta patologia é a exclusão do glúten da alimentação do indivíduo para recuperação da saúde intestinal, portanto o macarrão de milho é indicado para indivíduos que possuem restrição ao consumo dessa proteína, tornando-se uma ótima opção sem glúten e também saborosa para quem busca por uma alimentação saudável.

Consequências relacionadas à doença celíaca:

  • Baixa Estatura: a atrofia das vilosidades intestinais prejudica a absorção de nutrientes e acarreta, desta forma, o ganho de estatura inadequado do indivíduo durante a infância.
     
  • Infertilidade: pode ocorrer na ausência de desnutrição evidente, podendo ser o único sintoma presente em pacientes com DC subclínica, não diagnosticada. A má nutrição causada pela doença gera deficiências de zinco, ferro e folato, que são importantes nutrientes envolvidos na gestação.
     
  • Osteopenia: decorre também pela má absorção de cálcio e vitamina D, sendo precursora da osteoporose. Estudos demonstram que a DC predispõe a anormalidades ósseas e alterações no metabolismo do cálcio, causando osteomalácia, osteoporose e raquitismo.
     
  • Danos Bucais: pode ocorrer o aparecimento de alterações na saúde bucal, tais como atraso da erupção dental, diminuição do tamanho dos dentes, problemas na formação do esmalte e disfunção das glândulas salivares.
     
  • Dermatite Herpetiforme: estudos demonstram que a maioria dos pacientes com dermatite herpetiforme apresenta lesões intestinais similares à DC.
     
  • Patologias Hepáticas: uma grande variedade de lesões hepáticas, particularmente do tipo inflamatória, tem sido descrita em pacientes com a DC. Mais raramente, outras lesões do fígado, como esteatose, cirrose e carcinoma hepatocelular, foram descritas em biópsias hepáticas de crianças e adultos com DC. Essas lesões podem estar associadas com a lesão da mucosa intestinal, causada por reações imunes e secundárias à própria desnutrição.

Outras patologias envolvidas com a intolerância ao glúten:

  • Doenças Neurológicas: o aparecimento de distúrbios neurais em portadores de doença celíaca está sendo correlacionado com questões imunológicas e deficiência de vitamina B2 (pode estar associada à má absorção), cujas manifestações mais comuns são: ataxia cerebelar (degeneração ou bloqueio do cérebro ou cerebelo), epilepsia, demência e neuropatia.
     
  • Diabetes Melito: crianças com diagnóstico de DM 1, antes dos 5 anos, têm revelado uma autoimunidade mais acentuada, apresentando maior risco de desenvolver doenças autoimunes e de base semelhante, como a doença celíaca.
     
  • Neoplasias: são as complicações mais graves da doença celíaca e podem ocorrer pela demora ou não recuperação das vilosidades intestinais. O cumprimento da dieta restrita e isenta de glúten reduz o risco de linfoma e de outras doenças malignas (carcinoma de esôfago e faringe e adenocarcinoma de intestino delgado).

E a intolerância à lactose, você conhece?

A intolerância à lactose atinge atualmente 70% da população mundial e se caracteriza pela ausência ou diminuição da ação da enzima lactase, que é responsável por “quebrar” a lactose que é o açúcar do leite em glicose e galactose para então ser absorvida. Nesta intolerância, a lactose chega intacta no cólon, onde é fermentada por bactérias, gerando flatulência e diarreia, sintomas clássicos da intolerância à lactose.  

O milho é um alimento utilizado em grande escala, no Brasil, devido ao fácil acesso de aquisição e também pelo seu alto teor de nutrientes importantes como o carboidrato, vitaminas A e C, folato, tiamina, potássio e ferro. Além disso, este alimento é considerado uma ótima fonte energética, pois contém em sua composição carboidratos e ainda é livre de glúten.

O macarrão:

O macarrão Tivva é feito à base de milho, isento de glúten, possui zero teor de sódio, não contém colesterol e gordura trans, por isso, é uma opção saudável e saborosa para o seu dia a dia! Além do mais, não utilizamos conservantes, corantes e aromatizantes em nossos produtos.

Saiba mais sobre os benefícios do consumo deste macarrão:

  • Livre de glúten:

Por ser isento de glúten, o macarrão TIVVA é uma ótima opção de alimento para qualquer pessoa, inclusive para portadores de doença celíaca (DC). A DC é uma intolerância permanente ao glúten e se caracteriza por uma inflamação crônica na mucosa do intestino delgado, dessa maneira, prejudicando a absorção de nutrientes.

 

  • Zero teor de sódio:

Sabe-se que a hipertensão arterial é considerada um problema de saúde pública e também um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Vários fatores estão associados para o desenvolvimento de hipertensão arterial, entre eles, hábitos alimentares como, por exemplo, o consumo excessivo de sódio. O macarrão da linha TIVVA não contém quantidade significativa de sódio, sendo uma excelente opção de alimento para dietas com restrição deste mineral e para quem busca mais saúde!

  • Sem colesterol:

Nosso macarrão não contém colesterol e gordura trans e possui baixo teor de gorduras totais e saturadas. Uma alimentação rica em alimentos de origem animal e gorduras saturadas interfere diretamente na quantidade de colesterol no sangue. O excesso de colesterol é prejudicial à saúde e aumenta o risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

  • Alta digestibilidade:

O glúten é uma proteína considerada de difícil digestão e pode ser encontrada no trigo, na aveia, na cevada e no centeio. Por não conter esta proteína, o macarrão Tivva pode apresentar alta digestibilidade quando comparado a outros produtos que possuem glúten em sua composição.

O Glúten:

O glúten é uma proteína presente no trigo, cevada, centeio, aveia, malte e nos seus derivados.  Sua principal função é conferir a produtos alimentícios, por exemplo, massas, produtos de panificação e confeitaria, principalmente, uma textura macia e elástica, sendo esta propiciada por meio da água e da energia mecânica utilizada durante o preparo das massas.